Vitamina A: porque é tão importante?

     Olá. Mais um artigo sobre saúde trazido por mim, Idelfonso, e hoje vamos ler sobre uma das vitaminas mais importantes: a Vitamina A. Em 1912, um bioquímico inglês chamado Frederick Gowland Hopkins encontrou os fatores desconhecidos atuais no leite que não eram gorduras, proteínas ou carboidratos, mas foi exigido para ajudar ao crescimento nas cobaias. Hopkins recebeu mais tarde o prêmio Nobel (em 1929) para esta descoberta. Em 1917, Elmer McCollum da universidade de Wisconsin-Madison junto com Lafayette Mendel e Osborne de Thomas da Universidade de Yale descobriram uma destas substâncias ao pesquisar o papel de gorduras dietéticas. Em 1918, estes “fatores acessórios” eram tão solúveis na gordura descrito e em 1920, foram referidos como a vitamina A, ou seja, a primeira vitamina descoberta.   O corpo humano não pode fabricar esta vitamina, portanto, toda a vitamina A de que necessitamos deve vir dos alimentos. Ela age de diferentes maneiras no organismo. Este nutriente contribui para a boa visão, pois protege a córnea e também para a correta proliferação e diferenciação celular. Esta vitamina também contribui para o correto desenvolvimento do feto, por esta última razão ela é especialmente necessária para as gestantes. A vitamina A ainda é importante para os processos de formação da pele.

Boa para os olhos: A vitamina A é importante para a visão porque protege a córnea, parte do olho que transmite e concentra a luz que entra no olho. A baixa ingestão deste nutriente pode fazer com que a pessoa tenha dificuldade em enxergar em locais com a luz fraca e causar alterações oculares, em casos extremos pode levar à cegueira total.

Importante para a pele: A vitamina A é necessária para manter a integridade e função das células da pele e das mucosas. Além disso, o nutriente age na reparação do epitélio da pele. Alguns estudos tentaram comprovar se a vitamina A ajuda a prevenir ou tratar o câncer de pele, porém nada ainda foi comprovado.

Contribui para o crescimento: A vitamina A contribui para o crescimento de diferentes maneiras. Ela é essencial para a proliferação e divisão celular e também regula a expressão do gene para a formação do hormônio de crescimento, o GH.

Evita infecções: É importante destacar que as células da pele e das mucosas, que revestem as vias respiratórias, do aparelho digestivo e do trato urinário, atuam como uma barreira e são a primeira linha de defesa do corpo contra infecções. Desta forma, a vitamina A é importante porque mantém as funções e a integridade dessas células.

    A deficiência de vitamina A é considerada uma das mais importantes deficiências nutricionais dos países em desenvolvimento, sendo a principal causa de cegueira evitável. A deficiência clínica (conhecida por xeroftalmia) é definida por problemas no sistema visual, atingindo três estruturas oculares: retina, conjuntiva e córnea, tendo, como consequência, a diminuição da sensibilidade à luz até cegueira parcial ou total. A primeira manifestação funcional é a cegueira noturna, que constitui a diminuição da capacidade de enxergar em locais com baixa luminosidade. A deficiência subclínica é definida como uma situação na qual as concentrações da dessa vitamina estão baixas e contribuem para a ocorrência de agravos à saúde, como diarreia e problemas respiratórios. À medida que as reservas de vitamina A diminuem, aumentam as consequências de sua deficiência. Nesta fase, a suplementação com vitamina A pode reverter a condição subclínica e impedir o avanço da deficiência para a forma clínica. 
    A vitamina A é encontrada em alimentos de origem animal: vísceras (principalmente fígado), gemas de ovos e leite integral e seus derivados (manteiga e queijo). Os vegetais são fontes de vitamina A sob a forma de carotenóides (precursores de vitamina) os quais, no organismo, se converterão em vitamina A. Em geral, frutas e legumes amarelos e alaranjados e vegetais verde-escuros são ricos em carotenóides: manga, mamão, cajá, caju maduro, goiaba vermelha, abóbora/jerimum, cenoura, acelga, espinafre, chicória, couve, salsa etc. Alguns frutos de palmeira e seus óleos também são muito ricos em vitamina A: dendê, buriti, pequi, pupunha, tucumã. 

Vitamina A: 13 alimentos ricos em vitamina A que você precisar ...

    Este texto será o primeiro que falaremos dos micronutrientes, no caso as vitaminas e os minerais, que tanto em excesso quanto em deficiência pode provocar problemas sérios para o organismo. Comente abaixo sobre o que achou do texto, e dê dicas de temas para serem falados aqui no site. Até a próxima!

Bibliografia utilizada:





Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tanajura (as Formigas Agricultoras)

IPOMOEA CAIRICA, MAIS CONHECIDA COMO FLOR DE JITIRANA !

A GRALHA - CANCÃ