Revolução Francesa

    A Revolução Francesa (1989-1799), foi um período de intensas manifestações políticas e sociais na França, teve um impacto duradouro na história do país e consequentemente em todo continente Europeu.


    Para entendermos a revolução Francesa devemos salientar os fatos que precederam a revolução, entre eles o iluminismo teve grande importância como informamos no nosso outro artigo link, afinal uma revolução não se cria assim do nada.


Pirâmide de poder

    O primeiro grande problema para o estopim dessa crise era o sistema social monárquico com três divisões, no topo da pirâmide encontrava-se o Clero, no meio dela o Monarca e a nobreza e por baixo a população em geral camponeses e servos, pra se ter um melhor entendimento, 97% de toda a população da França fazia parte do último nível da pirâmide. Nesses sistema quem de fato sustentava o estado eram os trabalhadores camponeses, fazendeiros e etc. Sendo que pagavam todos os impostos enquanto a nobreza e o clero só ostentavam suas riquezas, ficando cada vez mais ricos. Esse sistema em si não foi o que ocasionou a revolução sendo que toda a Europa nessa época compartilhava do mesmo sistema governamental.




Rei Luís XVI

Maria Antonieta e Rei Luís XVI


Um dos personagens mais importantes para o início da revolução foi o próprio Rei da França na época Luís XVI, sendo considerado mesmo na própria época como uma figura sem voz de comando, tímido e altamente influenciável, em uma aliança com o reino austríaco casou-se com Maria Antonieta, e como de costume após consumar o casamento a família real tratava de criar os Herdeiros a próxima prole do seu reinado, mais isso não aconteceu por muitos anos gerando uma onda de brincadeiras e zombarias do povo francês durantes vários anos, musicas, poemas e até contos citando a incapacidade de reprodução do rei eram frequentes.Anos depois após exames mais detalhados foi detectado que o Rei Luís XVI tinha "Fimose" condição que atrapalha e as vezes impossibilita o ato sexual sendo isso o problema da falta de herdeiros. Sete anos após seu casamento foi feita uma cirurgia e corrigido o problema, com isso finalmente conseguiram ter seu primogênito.


A Crise

    Devido a diversos fatores como a explosão de um vulcão na Islândia ocasionando um dos invernos mais rigorosos da época e a crise econômica que não apresentava melhora na França, entre outros, a situação estava cada vez pior para o povo e o sistema estava colapsando, faltando comida e condições básicas de vida para a maioria da população, gerando uma onda de roubos, assassinatos e até suicídios. 
    O Rei Luís XVI resolveu convocar a “Assembleia dos notáveis”, que era uma assembleia entre cleros e nobres para resolver coisas importantes para o país, na assembleia o Rei Luís XVI tentou fazer com que os nobres pagassem impostos por um tempo para estancar a sangria econômica, ideia que "claro" foi recusada pela nobreza e clero, foi então que o rei resolveu convocar a “Assembleia dos Estados Gerais” com a participação do terceiro estado dessa vez, e agora a história começa a ficar mais interessante, para o povo a assembleia dos estados gerais era a oportunidade perfeita para implementar suas ideias algumas como todas as camadas da sociedade pagariam os mesmos impostos, diminuição do poder do rei e do clérigo, entre outras, várias dessas ideias com fundamentos iluministas.
    Visto que a última assembleia do povo tinha acontecido há mais de 170 anos, a população tinha a oportunidade perfeita para impor suas ideias, cada estado tinha direito a 1 voto na assembleia, logo é óbvio que o Clero e a Nobreza tendo dois votos manteria seus privilégios garantidos, e dificilmente o povo venceria uma votação na casa.
    Começa a assembleia e após muita discussão o Rei teve a "Ridícula ideia" de aumentar os impostos para o 3º estado (o povo), com isso a população ficando cada vez mais revoltada com a situação, novamente o Rei teve mais uma "Brilhante ideia" de fechar a assembleia sem mais nem menos, a população revoltada com isso resolveram literalmente tocar o foda-se e criaram sua própria assembleia onde o clero e a burguesia ficavam de fora.
    Os representantes do povo, pensando em como se proteger do exército real tiveram a ideia de criar uma força tarefa chamada "Guarda Nacional" saqueando os arsenais de armas de todo o reino, faltando apenas um único e importante elemento a Pólvora que era tão importante na época que os reis guardavam dentro da Bastilha uma fortaleza gigante que servia como presídio, estoque de armamento e pólvora e o mais importante mostrar o poderio militar do rei.


A Queda da Bastilha

Bastilha em Chamas

    Diante de todo o cenário em que a revolução já não tinha mais volta, o povo marchou até a bastilha invadiram e mataram todos os funcionários, decapitaram o diretor da bastilha roubaram a pólvora e ainda por cima queimaram e destruíram toda a bastilha. Isso gerou um enorme comentário em toda a Europa e a situação já estava completamente fora de controle, após isso a população escrevia sua nova constituição a "Declaração dos direitos do homem e do cidadão" documento que visava a igualdade entre todos os homens, onde todos nasceriam iguais perante a lei, a extinção da predestinação ao trono, e já naquela época o direito à liberdade de expressão.

    Depois de um Jornal publicar uma matéria afirmando que o Rei estava se articulando para acabar com o caos na cidade, a população ensandecida foi  "literalmente" Marchando até o Palácio de Versailles, local onde a família real vivia que era bem longe do foco da revolução em Paris, após conversas fracassadas com o Rei a população resolveu invadir o palácio matando todos os guardas e por pouco não mataram a própria família real. Sequestraram o rei e a rainha colocando-os em um carroça e levando até Paris em clima de festa. 
    O rei foi colocado quase que como um escravo sendo obrigado a assinar todos os documentos relativos a nova constituição, com a moral já bastante baixa o Rei cometeu um erro tentando fugir para a Áustria onde viviam a família da rainha para pedir ajuda ao Rei da Áustria tentando reconquistar toda a França, foram pegos no meio da madrugada poucos quilômetros depois e trazidos de volta a Paris com esse ato os poucos apoiadores do Rei se voltaram contra ele já que ele pretendia fugir e deixar o país nas mãos do revolucionários, ato entendido como traição pela nobreza e pelo clero.


A Guerra na Fronteira

    O Reinado Austríaco já sabendo o que se passava na França resolveu fazer alguma coisa com medo de que algo de mais grave acontecesse a sua filha, resolveu invadir a França pela fronteira, os populares defensores da revolução foram de forma organizada a pontos estratégicos da fronteira travando uma batalha onde muitas vidas foram perdidas. Já em Paris a situação estava tão séria que qualquer um que se opusesse a revolução era tratado como traidor e preso, o Império austríaco após algumas vitórias na fronteira deixou os revolucionários com medo de que conseguissem chegar a Paris, o foco da resistência, sendo que uma parte da população contraria o movimento estava lá em cárcere, se os austríacos chegassem na capital se juntariam com a população e acabariam com a revolução.
    Então os líderes da revolução resolveram "Matar" todos os presos que se opuseram a eles, e foi exatamente isso que fizeram, uma verdadeira carnificina, matando todos os Nobres inclusive a família real, Clérigos e quem tinha ideias contrarias ao movimento. Nesse momento foi utilizada uma famosa invenção francesa a "Guilhotina". Com o desejo de acabar de uma vez por todas com a monarquia, a população resolveu acabar com o maior símbolo monárquico do país a “Coroa Real”, que no caso era o próprio Rei Luís XVI. Foi então que numa tarde de Sol o Rei foi levado a Guilhotina na frente de toda a população no meio de Paris, e nesse momento assim como a cabeça do rei, caiu também a ficha de que a revolução tinha marcado a história pra sempre.
    Agora a grande pergunta era quem assumiria as rédeas da situação, após esse período a rainha Antonieta também foi executada em praça pública, e como é comum em revoluções as frentes que comandam após um tempo começam a perder o foco da revolução, popularmente falando ficam "paranoicos", pois o sistema centenário de comando tinha ruído e a população não saberia muito o que fazer agora.


Período do Terror

Morte do Rei Luis XVI
    Nesse Momento, após a queda do símbolo monárquico começa o período conhecido como o "Período do Terror", quem quer que fosse contra o novo sistema de comando era morto pela guilhotina. Nesse período a guilhotina nunca trabalhou tanto na sua história, por volta de 30.000 pessoas foram decapitadas nesse curto período de tempo, muitas delas inocentes mortas pelo único ideal de ser contra o que tudo aquilo estava virando.
    Nesse período um francês chamado Maximiliano de Robespierre (1758-1794) junto com uma dúzia de pessoas inauguraram o que eles chamavam de "Comitê da salvação pública" e sabe o que aconteceu depois disso? Como dizia Maquiavel "Dê poder ao homem e descobrirá quem ele realmente é" a primeira ação foi instalar a censura no país, quem falasse o que o comitê não quisesse ouvir era decapitado, depois começaram a reformular toda a cultura do país perseguindo todos os cristãos destruindo templos e igrejas quebrando artefatos, criaram um novo calendário e até um novo sistema de Métrica que é usado até hoje, Robespierre estava ficando cada vez mais louco com o poder, matando seu próprio aliado e amigo de longa data George Jacques Danton (1759-1794) um dos percussores da revolução, a guerra nas fronteiras estava ficando cada vez mais controladas graças as estratégias de batalha de um homem conhecido como Napoleão Bonaparte e com menos pressão vindo das fronteiras facilitou que as coisas começassem a ficar mais estáveis, mais não pra Robespierre... O comitê criou uma religião chamado "Cult de I'être suprême" Culto da deusa da razão, criando um novo feriado nacional onde ele mesmo aparecia no topo de uma montanha em um trono como o maior propagador da palavra divina da razão, completamente possuído pelo poder já fazia planos para se mudar para o palácio de Versailles "casa real", mas os lideres populares, vendo que a situação com o comitê estava fora de controle se juntaram e apresentaram Robespierre a famosa Guilhotina, executando talvez o maior engajador das ideias revolucionarias e um dos homens que fez tudo isso ser possível.


Culto a Deusa da Razão





Napoleão Bonaparte


    Após isso, a revolução se acalmou bastante e a ordem foi assumida por ‘acordos’ entre Girondinos e Jacobinos, tema de trabalhos futuros do blog, e as coisas só começaram a se agitar novamente com a ascensão de um homem ao poder, o famoso e já citado (Napoleão Bonaparte), mais isso é assunto pra outro artigo aqui no blog.




    E aí pessoal! Gostaram do que leram? Entenderam o contexto histórico da revolução Francesa e o seu papel na história da Europa e até do Mundo? deixa seu feedback aí pra agente saber...
    Até a Próxima e muito obrigado!


Fontes:


Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tanajura (as Formigas Agricultoras)

IPOMOEA CAIRICA, MAIS CONHECIDA COMO FLOR DE JITIRANA !

A GRALHA - CANCÃ