OS TRÊS PODERES E SEU IDEALIZADOR


Contexto histórico  




  
    No início do século VIII surge, em resposta ao feudalismo e ao absolutismo monárquico do continente europeu, o movimento iluminista, e com ele a valorização da razão e do conhecimento científico tomou o lugar do totalitarismo e dogmatismo religioso. Intelectuais, como o que estamos prestes a conhecer, começaram a reconstruir os caminhos do conhecimento humano no campo da astronomia, ciências naturais, filosofia e política. 

 

A ideia e seu portador  


    Charles-Louis de Secondat (1689-1755), o Barão de Montesquieur, foi um dos mais importantes filósofos iluministas. Nascido em uma família aristocrática francesa, defendeu a razão como guia de descobertas, fazendo duras críticas a monarquia absolutista vigente em seu país. Montesquieu elaborou uma teoria política, que apareceu na sua obra mais famosa, “O Espírito das Leis” de 1748, inspirada em John Locke, Aristóteles e no seu estudo das instituições políticas inglesas. Esta obra inspirou os redatores da Constituição de 1791 (revolução francesa) e tornou-se a fonte das doutrinas constitucionais liberais, que repousam na separação de três poderes. 


    Se antes o rei era a fonte do poder, agora essa fonte era o próprio povo. Sendo o povo uma coletividade, era necessário que houvesse uma representação equilibrada. Pra isso, o poder precisava ser dividido em três instâncias: 


  • O poder executivo – que se encarregaria de gerenciar o Estado e pôr em prática as leis aprovadas; 
  • O poder legislativo – que se encarregaria da elaboração das leis;   
  • O poder judiciário – que ficaria incumbido de apreciar e julgar segundo um ordenamento jurídico. 

    Esses três poderes seriam equilibrados, de modo que um fiscalizaria o outro e todos seriam amparados e regulados por uma Constituição democrática – fonte de todo o poder popular. Esse modelo imperou no mundo com o Estado Democrático de Direito, nos séculos XIX e XX, e continua sendo aperfeiçoado, discutido e incrementado, sobretudo nos países ocidentais. No Brasil, esse modelo político foi instituído com a saída do monarca D. Pedro II (que foi deposto por forças militares e por produtores de café insatisfeitos com a abolição da escravatura) e a proclamação da república em 1889





    Essa foi uma breve introdução ao tema dos três poderes políticos e ao seu idealizador, para que futuramente possamos aprofundar nosso conhecimento no assunto. É claro que esse e qualquer outro tema falado aqui merece um longo período de estudos... Estamos apenas vislumbrando o conteúdo.



E aí, gostou da matéria que acabou de ler? Percebeu o quanto a filosofia tece a realidade do nosso mundo e da sociedade? Deixe seu feedback nos comentários!!! Obrigado e até a próxima. 



referências:

https://www.youtube.com/watch?v=6K4-8yIJKQo 
https://www.youtube.com/watch?v=S0s2DE-ao2Q 
https://www.youtube.com/watch?v=_GQjpJu9W5Y 
https://pt.wikipedia.org/wiki/Montesquieu 
https://mundoeducacao.uol.com.br/politica/tres-poderes.htm 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Tanajura (as Formigas Agricultoras)

IPOMOEA CAIRICA, MAIS CONHECIDA COMO FLOR DE JITIRANA !

A GRALHA - CANCÃ