CORONELISMO, O que é? E porque a política vitoriense é assim?


    Olá leitores e eleitores, daqui a três dias escolheremos prefeito e vereadores, os 'representantes do povo' no poder executivo e legislativo, estamos literalmente dando poder a pessoas para nos governar e decidir pelo nosso futuro, pelo futuro da nossa cidade. Será que estamos construindo uma comunidade melhor ou estamos sendo guiados por interesses pessoais de famílias poderosas? Será que vivemos em uma oligarquia? Lê aí a matéria e depois tu me diz...

                                 


Coronelismo 

    O coronelismo foi uma experiência típica dos primeiros anos da república brasileira, essa prática tem reflexos até os dias de hoje, e faz parte de um processo de longa duração que envolve aspectos culturais, econômicos, políticos e sociais do Brasil. A construção de uma sociedade economicamente baseada na produção agrícola latifundiária (grandes extensões de terra de um único dono), desde os tempos da colônia, poderia contar como um dos fatos históricos responsáveis pelo aparecimento do chamado “coronel”, mas como será que surgiu esse amaldiçoado ser?


O surgimento do coronel 

    No período regencial, a incidência de levantes e revoltas contra a nova ordem política instituída pelas elites militares e agrícolas brasileiras concedeu uma ampliação de poderes nas mãos dos proprietários de terra. A criação da Guarda Nacional buscou reformular os quadros militares do país através da exclusão de soldados e oficiais que não fossem fiéis ao império. Os grandes proprietários recebiam a patente de “coronel” para assim recrutarem pessoas que fossem alinhadas ao interesse do governo e das elites.

    O poder dos coronéis também foi uma ferramenta de opressão dos interesses populares na primeira república brasileira (república do café com leite), para garantir que os interesses das oligarquias de São Paulo e Minas Gerais mantivessem o domínio em suas mãos, os grandes proprietários de terra negociavam interesses particulares com o governo.

    Na esfera local, os coronéis utilizavam das forças policias para a manutenção da ordem (outro nome para opressão da vontade popular). Além disso, essas mesmas milícias atendiam aos seus interesses particulares. Em uma sociedade em que o espaço rural era o grande palco das decisões políticas, o controle das polícias fazia do coronel uma autoridade quase inquestionável. Durantes as eleições, os favores e ameaças tornavam-se instrumentos de retaliação da democracia no país. Qualquer pessoa que se negasse a votar no candidato indicado pelo coronel era vítima de violência física ou perseguição pessoal, essa pratica ficou conhecida como voto de cabresto. Essa medida garantia que os mesmos grupos políticos se consolidassem no poder. Com isso, os processos eleitorais no início da era republicana eram sinônimos de corrupção e conflito.

    Essa falta de autonomia política integrava uns processos onde deputados, governadores e presidentes se perpetuavam em seus cargos. Os hábitos políticos dessa época como a chamada “política dos governadores” e a política do “café-com-leite” só poderiam ser possíveis por meio da ação coronelista. Mesmo agindo de forma hegemônica na República Oligárquica, o coronelismo tornou-se um traço da cultura política que perdeu espaço com a modernização dos espaços urbanos e a ascensão de novos grupos sociais, na década de 1920 e 1930. 

 


Como identificar um coronel?

     Apesar do 'desaparecimento' dos coronéis, podemos constatar que algumas de suas práticas se fazem presentes na cultura política do nosso país. Abaixo foram listadas algumas características dessa figura que se recusa a morrer politicamente e a deixar a democracia seguir seu caminho.

    O que é que um coronel tem? 

  • posse de grandes extensões de terra ao redor da cidade;
  • tem familiares espalhados por todos os cargos políticos;
  • possui influência na polícia local (milícia);
  • É proprietário de rádio ou emissora de TV local;
  • Compra voto;

    Por isso fique atento, se seu candidato tem algumas dessas características (ou todas, no pior dos casos), é porque sua cidade foi sequestrada por grupos políticos poderosos, a concentração de poder na mão de um determinado grupo é uma ameaça à prática da democracia e aos seus interesses e reinvindicações como cidadão.





    Para descontrair:                                                                         

      


Gostou da matéria? Deixe elogios e críticas nos comentários! Isso nos ajuda e incentiva!!!


clique Aqui... pra ser direcionado para um PodCast do Nexo jornal sobre o tema, recomendo bastante...


referências:

https://www.todamateria.com.br/coronelismo/

https://www.todapolitica.com/coronelismo/

https://brasilescola.uol.com.br/historiab/coronelismo.htm




Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Tanajura (as Formigas Agricultoras)

IPOMOEA CAIRICA, MAIS CONHECIDA COMO FLOR DE JITIRANA !

A GRALHA - CANCÃ